Inicio » » A campanha de Mao Tsé-Tung para destruir os pardais causou a fome de 30 milhões de pessoas

A campanha de Mao Tsé-Tung para destruir os pardais causou a fome de 30 milhões de pessoas

Postado por: AvidaBloga on sexta-feira, 1 de agosto de 2014 | 8/01/2014 01:56:00 AM

O que causa a política míope?


Em 1958, o líder chinês Mao Zedong declarou uma pequena guerra. Ele decidiu que há quatro coisas de que precisavam urgentemente de se livrar, são elas: mosquitos, moscas, ratos e pardais.
Seus cientistas relataram que um pardal come 4,5 kg de grãos por ano. De acordo com seus cálculos, para cada um milhão de pardais mortos,  seria a quantidade de grãos suficiente para alimentar 60.000 pessoas .


Com apenas essas informações ele não queria ouvir mais nada, Mao Tsé-tung lançou a Grande Guerra passeriforme em que, como esperado, com a participação de todos os cidadãos e foram matando o maior número de pardais. Apenas em um dia em 13 de dezembro de 1958 eles mataram 194.432 pardais. Durante toda a duração da campanha mataram centenas de milhões de pardais, e eles então quase foram extintos como espécie na China.

Só que tem um porém, os cientistas não mencionaram no relatório que os pardais comem insetos, como gafanhotos e grilos e que pode causar muito mais danos às culturas do que os pardais. Na ausência de pardais os gafanhotos começam a se mover e tem total liberdade de ação
.
Mao de repente percebeu o que eu fez com o ecossistema, e apressadamente importou pardais da União Soviética, mas já era tarde demais. O ataque de insetos contribuíram para a Grande fome dos chinêses de 1958-1961-segundo período em que cerca de 30 milhões de pessoas morreram de fome.


AvidaBloga-Rock  - local de fatos interessantes sobre tudo. Nós coletamos, selecionamos e publicamos apenas o melhor de todo o mundo. Fatos novos surgem a cada dia, fique com a gente - toda a diversão pela frente!



0 comentários :

Postar um comentário


POLÍTICA DE MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS:


As regras gerais de conduta em nosso site:

http://www.avidabloga.com/p/regras-do-blog.html




Anterior Proxima Página inicial